A bailarina

A bailarina na foto
dá um sorriso, feliz.

Mal sabe ela que noto
as coisas que não me diz.

Como o retrato, eu desboto
e vou perdendo o matiz.

O mofo e a umidade
que ameaçam a lembrança.

O tempo, só de maldade,
com a bailarina criança,

lhe ignora a saudade
do dia daquela dança.

Bonita nesse retrato,
eu adivinho o que pensa:

a bailarina, de fato,
na sua dança suspensa,

espera o segundo ato.
Sua vontade é imensa.

Comentários antigos: